Pe. Julio Lanceloti: Solidariedade e fome na cidade de São Paulo.

Na conexão entre o campo e as pessoas que têm fome na cidade, para além das previsões de cestas básicas e apoios do governo, tem um ecossistema inteiro com diversas iniciativas que partem dos ativistas, da sociedade civil e de algumas empresas. Isto é muito importante porque a movimentação ativista em torno deste tema tem potencial de entregar tanta ou mais comida do que o próprio governo. E além do resultado direto destas ações - fazer chegar comida em quem tem fome - todo o processo é valioso para nós enquanto sociedade, pois não trata a comida como mercadoria, valoriza a produção orgânica e mantém em atividade todas as pessoas envolvidas nessa rede. Na cidade de São Paulo temos entre 20 e 30 mil pessoas vivendo na rua. Os desafios para fazer chegar até esta população os apoios do governo institucional são muitos. Toda parte burocrática demanda muito empenho para fazer constar corretamente as informações de cadastro, se está empregado ou desempregado, se tem endereço fixo ou não, entre outras. O voluntariado é condição essencial para seguirmos na luta pela redução de desigualdades.



Imagem: Yahoo Notícias / Everton Menezes


Veja o video completo:



#moradoresderua #solidariedade #soberaniaalimentar